31.7.05

fell the magic.
it’s nearly impossible to figure out what a friend or partner wants on friday. it’s even difficult to determine what direction a relationship might go in. so don’t belabor this – just take each moment as it comes, and remember that everything is subject to change during the next couple weeks. your life right now is like florida weather: if you don’t like it, wait a couple minutes. on saturday, you dedicate more thought and energy toward collecting monies owed you and strengthening your position in a business matter. be aware that the people you associate with during late afternoon and evening may have an impact on your reputation. if you doubt another’s sobriety or ability to drive safely, don’t chance it. arrange for your own transportation. some of you may encounter resistance or outright rebellion from a pal or partner about a scheduling obligation. sunday, overall, is easy – even sexy and fun. spontaneous social gatherings produce unexpected opportunities. there’s really no need to fuss, scorpio. it’s the pleasure of your company that others seek.
o horóscopo da elle ou me deprime tanto, ou me anima muito.

you fell in love with a dream that you built of me.

quando, na verdade, não é nada disso.

periferia pride.

porque, você sabe, eu ouço a eldorado e a 104fm. e, na verdade, não tô nem aí. ser brega tá sempre em voga.

se a gente se encontrar por aí
não pense que eu não tô legal
na real eu não te esqueci
mas é melhor assim não faz mal
cansei de esperar por você
tentei te entender mas não deu
chega de fazer por fazer
pára de falar que fui eu
o errado, desse amor
pára de falar que fui eu
o culpado, por favor
e agora eu sou mais eu
eu nem sei de você
se já me esqueceu
onde anda? cadê?
e o que aconteceu?
não entendo o por quê
e quem de nós perdeu?
deixa o tempo dizer...

28.7.05

see-saw.
infelizmente enxergo que tenho, realmente, mania de auto suficiência. eu sou o bastante pra mim mesma. não tenho grandes problemas em fazer as coisas comigo porque sou ótima companhia e rio das minhas piadas. mas ultimamente ando irritada com qualquer coisa que fuja aos padrões. no dia em que for dona do mundo vou dar uma cartilha a todos, ensinando como agir. ensinando os momentos de deixar em paz. ensinando como funciona a minha empolgação e o inverso proporcional: a falta de interesse. e vai ter uma lição, a mais importante, que vai explicar que não faço por mal.
é.

25.7.05

porta da esperança

eu quero um final de semana grátis na praia da pipa.
não precisa nem ter comida, só água de côco. e vou ficar na beira do mar desde bem cedo até bem tarde, só vendo a maré subir e descer. e protetor 15, porque não quero ter câncer de pele.
a felicidade me consome só de pensar.
que maravilha.
que maravilha.
que maravilha.
um calor suportável, um solzinho delícia e o mar. e a paz, que só um lugar onde tudo é tabelado em euros (?) pode oferecer.
minhas vidas passadas então refletidas em preferências atuais que não combinam entre si.

21.7.05

don't you bring me down today.
a coisa mais complicada no frio é achar uma posição para dormir. porque demora muito pra cama esquentar. daí vira e vira. e lembra que esqueceu de colocar o celular pra despertar. e levanta. e acha o celular. e deita. e vira e vira. e nada da cama esquentar. e levanta. e coloca mais uma coberta. e deita. e vira. e vira. e nada da cama esquentar.
tenho certeza de que pego no sono com a cama fria ainda.
mas, pensei agora, talvez mais complicado ainda seja levantar pela manhã. porque daí o único lugar quente é exatamente a cama. e colocar o nariz pra fora é uma afronta, praticamente. e o celular desperta e soneca soneca soneca. o frio é um dos maiores motivos para dormir cedo e acordar tarde.
e por isso tenho chegado um pouco atrasada, todos os dias.
mas pensar em umas férias pequenas, numa cama grande, enrolada em cobertas e pernas e braços, faz tudo tão absolutamente suportável.
eu vivo uma fantasia constante que torna a realidade aceitável.
e a realidade não é tão ruim. por mais que tenha ouvido besteiras nos últimos dias. justifico com os vinte-e-um. o mundo cor-de-rosa e minha indecisão. as minhas preferências e inconseqüências. as mensagens que moram no meu celular.
e a fantasia não é tão distante. por mais que queiram me abrir os olhos. reconheço que não existam príncipes, mas não é por isso que devo deixar gente pequena destruir meus castelos.
até porque, às 6h30' da manhã, quem precisa de fantasia pra sair da cama sou eu.

and i don't know why i care so much when i shouldn't care it all...
enquanto ocorrem novos atentados em londres, minha preocupação é que cobramos muito pouco para levar glória kalil, de carro, até o uruguai.
ok, abstrai que o problema não é meu.
como se fosse fácil. humpf.
ai, como é chique essa glorinha, viu? impressiona. e, como estava dizendo à aline: ela usava uma bolsa de oncinha. e se ela usa bolsa de oncinha não há porque eu reprimir essa preferência. é chique, benhê.
mas, então, se vocês forem de carro até o uruguai não deixem de passar aqui no hsbc da 24 de outubro - aparentemente o único lugar autorizado - e tirar uma carta verde. custa R$34,97 e permite que o carro transite até 3 dias em terreno uruguaio. se deixar pra fazer na fronteira vai dançar com R$80,00. fica a dica. é obrigatório.
se um dia alguém aproveitar essa dica, let me know.
tô esperando que o motorista lembre de todo o esforço que fiz pra conseguir esse documento e poupar alguns diñeros, e me traga uns alfajores. acho super importante.
gorda.
e cafona.

a nova moda é usar a palavra cafona. acabei de decidir.

risoto de funghi. tô com vontade.

e colocaram adubo nas plantas do lobby.

19.7.05

glicose.

eu não consigo optar por frutas na hora da sobremesa. e ao invés de um almoço balanceado, de pessoa adulta que sou, acabo comendo duas gramas de comida e três kilos de cheesecake. não é saudável.

a dieta da semana é: cheesecake + brownie + pão de queijo + brigadeiro + café.

estou aguardando resultados desastrosos.

blame it on the hormones.
and all this miss-you-thing that makes me hungry.

not a mess, a work in progress.
você espera por um e-mail que nunca chega. um convite que nunca vem. o telefone que nunca toca. você guarda tudo numa caixa, esperando para abrir assim que alguém bater a porta avisando que veio para ficar. esquece a caixa no fundo do armário. esquece o som de portas batendo. esquece até de quem estava esperando. então acaba se rendendo, outros olhos, outras mãos, outra boca. você diz que ama outra pessoa. nesse dia chegam e-mails, cartas, telefonemas são atendidos, convites são feitos, a caixa cai do armário, as portas batem, a felicidade toma conta e o amor declarado alguns minutos atrás vira sombra, segundo plano, pano de fundo. eu odeio a solidão provocada pelas noites de domingo. e o que elas fazem comigo. e o que fizeram com ele. eu odeio me sentir assim, tão dividida, tão inclinada. eu queria a possibilidade de poder, mas não posso. ter enxergado antes, e não vi. não ter atendido aquela ligação.

18.7.05

longe.

uma proposta de fuga rápida: eu vou.
n-ã-o-a-g-ü-e-n-t-o-m-a-i-s-e-s-s-a-f-a-l-t-a-d-e-e-m-o-ç-ã-o.
rápido rápido rápido.

editando: nem tenho o quê editar.


horoscope.
(ou: marketing pessoal não funciona comigo.)

bem, tive de abandonar o horóscopo da elle porque está muito confuso. estou lendo, agora, como conquistar alguém do signo de escorpião, só pra ver se a informação procede, senhora.

...uma das principais chaves é conquistar sua confiança, mas não fique fazendo promessas e se marqueteando para essa desconfiadíssima e cautelosa criatura, o próprio escorpiano se encarregará de descobrir tudo sobre você...

...bem, escorpião é dedicado e gosta de receber toda a sua atenção. podem ser um pouquinho possessivos e ciumentos, mas não farão escândalos... melhor não dar motivo...

ok. eu sou tão clichê que até o terra sabe como descrever. puxa vida. será que todos os escorpiãos tem a mania de dar um google nas pessoas? e será que todo o escorpião detesta gente que faz propaganda excessiva de si mesmo? esse negócio de astrologia é muito real, sabe? muito muito real.

bem, eu preciso aprender a administrar melhor meu tempo. porque se faço tudo na hora da chegada, o resto do dia passa muito devagar.

quero desviar de um assunto que martela na cabeça, e não consigo.

vou atualizar as planilhas.

e pensar sobre o nordeste brasileiro.

17.7.05

it's hard to wave goodbye from aeroplanes - and i just don't think that you can see - i tapper off and say it's never worth the pain, but sometimes it does.

i hate to think hesitation is a burden.
a bittersweet design for a lesson you're learning.

la la lá.

14.7.05

girlie.

mas que coisa, viu?
mas que coisa.
lalalá.
nananá.
preciso fazer as unhas com uma certa urgência.
meu perfume acabou hoje. hoje mesmo. fim. preciso de outro, com certa urgência.
preciso de um tempo para ser mulherzinha, antes que seja tarde demais, com certa urgência.
estou parecendo um panda, olheiras gigantes. e meu cabelo anda se comportando com um gentleman. tenho medo, até.

preciso decidir. preciso decidir. preciso decidir.

13.7.05

patitas
tô assim, ó: passada.
e se eu disser que é verdade, por deus, ninguém acredita.
puxa, estou realmente pasma. vou aumentar os critérios de seleção. ou não, porque aos quinze as coisas são mais fáceis.
ah, vou sim.
peruas escandalosas. odeio.

posso ser ciumenta, mas eu nego até o fim.
essa é a música mais linda do mundo, no momento. e eu sou a pessoa mais sem palavras do mundo, no momento.

ela vai mudar,
vai gostar de coisas que ele nunca imaginou
vai ficar feliz de ver que ele também mudou
pelo jeito não descarta uma nova paixão
mas espera que ele ligue a qualquer hora
só pra conversar
e perguntar se é tarde pra ligar
dizer que pensou nela
estava com saudade
mesmo sem ter esquecido que passou
ele vai mudar,
escolher um jeito novo de dizer “alô”
vai ter medo de que um dia ela vá mudar
que aprenda a esquecer sua velha paixão
mas evita ir até o telefone
para conversar
pois é muito tarde pra ligar
tem pensado nela
estava com saudade
mesmo sem ter esquecido que
é sempre amor, mesmo que acabe
com ele aonde quer que esteja
é sempre amor, mesmo que mude
é sempre amor, mesmo que alguém esqueça o que é amor
para conversar
nunca é muito tarde pra ligar
ele pensa nela
ela tem saudade
mesmo sem ter esquecido que
é sempre amor, mesmo que acabe
com ela aonde quer que esteja
é sempre amor, mesmo que mude
é sempre amor, mesmo que alguém esqueça o que passou - mesmo que mude / bidê ou balde

11.7.05

i still recall the words you've said to me
censurei.

10.7.05

canção pra quando você voltar.


quando o sol de cada dia entrar
chamando por você
querendo te acordar
vai ter sempre alguém pra receber
dizer pra esperar
você já vai chegar
alguém pra olhar a casa
e alguém que regue o seu jardim
até você voltar
e como é normal acontecer
se num entardecer
a dor te visitar
vai ter sempre alguém pra socorrer
fazer o seu jantar
dormir no seu sofá
enquanto a noite passa por mim
eu rego o seu jardim
você já vai voltar - leoni e herbert vianna

9.7.05

like the naked leads the blind
i know i'm selfish, i'm unkind
sucker love i'll always find
someone to bruise and leave behind
all alone in space and time
there's nothing here, but what's here's mine
something borrowed, something blue
every me and every you.
força, força.
não não não.


i'm gonna be just fine.

let's just forget those two years, right?
no final nada dá certo. as pessoas brigam e magoam as outras, por nada. com trezentas e vinte e sete mil pessoas, é possível o nível de exigência diminuir?
yes, there's a drunk little whore making fun of me. ok, it just makes me see that you don't deserve me, even a small part of me, even my words.
lágrimas. como eu sou idiota, meu deus.
you can be mad in the morning
i'll take back what i said
just don't leave me alone here
it's cold, baby
come back to bed.
what will this fix?
you know you're not a quick forgive
and i won't sleep through this
i survive on the breath you are finished with.

8.7.05

he's gonna change my name.
depois da traumática experiência de treze horas trabalhando, a conclusão é: eu vou ter um filho menino.
não agora, claro. mas lagriminhas vieram aos olhos quando vi aqueles pais com aqueles filhos atrás dos jogadores, numa ligação tão forte quanto ir às compras sozinha com a mãe. e enquanto eles estiverem viajando o brasil para assistir futebol, eu e minha princesinha ficaremos sozinhas em casa, sem barulho, com muita comida e tempo de qualidade sem interferências masculinas. acho um bom plano. um casal de filhos. mas, certamente, preciso refletir sobre.
não me incomodo tanto mais. em algum momento da vida eu vou ser mãe. em algum momento da vida eu vou ter um bebêzinho pra cuidar. parece que não tão logo, tem tanta coisa ainda.
o que não muda, posição conservadora, é a vontade de casar. e só depois ter filhos.
hoje eu tô assim, bem boba com os pensamentos sobre a vida futura.
mas pode ser a fome, também.

6.7.05

quickly.

bem, se as forças armadas quiserem tomar o poder, eu apóio. pode trazer meu uniforme verde exército.
agora tudo calmo, hoje trabalhei para o ano todo. e ainda estou. perdi a sessão, mas que chefe se importa com a sanidade mental do estagiário? ficarei até às 19h.
transmissão ao vivo para a rádio gaúcha. torcedores fanáticos cantando o hino do são paulo. acho que hoje vou chegar em casa, pedir uma pizza e esquecer que um dia existiu jogo, imprensa, e pessoas que precisam de carro em dez minutos.
lembrei do primeiro namorado, doente pela camisa listrada vermelho/preto/branco. puxa, como o tempo passa.
henri castelli e argentinos da fox sports: só você salvam meu dia.
mas o meu espanhol é ruim mesmo. ruim pra caramba. tão ruim que eu fico envergonhada de tentar estabelecer qualquer contato com os hermanos.
pizza. cama. cobertores e filme. é só disso que preciso para ser feliz no momento.

5.7.05

i think i made you up inside my head
adoro.
i shut my eyes and all the world drops dead;
i lift my lids and all is born again.
(i think i made you up inside my head.)
the stars go waltzing out in blue and red,
and arbitrary blackness gallops in:
i shut my eyes and all the world drops dead.
i dreamed that you bewitched me into bed
and sung me moon-struck, kissed me quite insane.
(i think i made you up inside my head.)
god topples from the sky, hell's fires fade:
exit seraphim and satan's men:
i shut my eyes and all the world drops dead.
i fancied you'd return the way you said,
but i grow old and i forget your name.
(i think i made you up inside my head.)
i should have loved a thunderbird instead;
at least when spring comes they roar back again.
i shut my eyes and all the world drops dead.
(i think i made you up inside my head.) - mad girl's love song - sylvia plath

for you and for me.
não fala mais nada e me deixa viver sem culpa porque
não há nada que se possa fazer agora que
sem âncoras, este navio segue além do sol
e nada mais vai voltar a ser como em dias que
meus passos não diziam nada e eu caminhava sem saber
como ia voltar pra casa antes do dia amanhecer
e se o vento carregar pra longe o teu olhar
e tocar o céu ser dor maior que perceber
que as nuvens de algodão tem marcas de minhas mãos
mesmo assim te guardarei, porque agora tanto faz...
me leve às estrelas sem pensar que amanhã tudo pode mudar.
me deixa sonhar em paz porque eu já não penso em acordar.

3.7.05

drama queen.

e-u-t-ô-s-e-n-t-i-n-d-o-u-m-a-i-r-r-i-t-a-ç-ã-o-q--u-e-n-ã-o-é-n-o-r-m-a-l.
gésus me salva antes que eu cometa um homicídio culposo dos infernos ulta master mega hiper qualificado. e depois o suicídio.
just 'cause drama fits me well.
if i could be your punk rock princess
you would be my garage band king
you can tell me why you just don't fit it
and how you're gonna be something
if i could be your first real heartache
i would it all over again
if i could be your punk rock princess
you would be my heroine...
depois de doze horas de sono, eu vou é dormir.

apaga a luz.
acho que esgotei minha cota de porto alegre.
mesmo.
eu acho que esgotei a cota de mim mesma.
i woke up this morning with my make up on
i've been faking it lately, but those days are gone
you look at me and wonder why
i got to cut these strings and learn to fly...
but the girl is only in your mind
she's leaving everything behind
she's not the girl that's gonna make it right
so you can kiss that girl goodbye.
you could look forever for someone like me
she's just a memory.
se nos livros tudo acaba bem, será que posso esperar um final feliz?
então essa é a música do momento. no repeat. pra justificar minha neurose.

2.7.05

fiction. non fiction.

nem tudo que se escreve em blog é pessoal.
no meu. nem tudo que escrevo aqui é pessoal. talvez sim, parta de experiências pessoais e fatos e tudo, mas é muito mais da minha cabeça do que relatos do cotidiano. eu sou dramática. eu gosto de inventar universos que só existem pra mim. eu gosto de misturar. e assim vai. é um vômito, porque, diferente de muitos, eu tenho necessidade de colocar as palavras para fora. eu preciso escrever para manter a sanidade. me faz mal guardar as coisas e não posso sair por aí gritando com o mundo, melhor que transforme em palavras.
uma vez um professor, na letras ainda, disse que eu tinha tendência a escrever só sobre sentimentos não nobres. vai ver seja verdade. não é pessoal. é o meu jeito de sentir as coisas. é o meu mundo. e nele eu vou estar sempre correta. sempre.
uma válvula de escape, um esconderijo exibicionista, já que qualquer um pode ler.
se tudo fosse verdade, se tudo aqui fosse fiel à realidade dos fatos, então alguém poderia ter o bom senso de mandar me internar.

make me go away
fechar a cara e ignorar minha presença não vai fazer com que eu suma. com que meu corpo desapareça no espaço, de repente, junto com todas as coisas idiotas e sem sentido que já foram feitas ou ditas. é por isso que tem de pensar exatamente no que falar, para quem falar e como agir. senão, depois, fica aí, pelos cantos, desejando apagar o passado e os sonhos e os planos. a culpa, de novo, não é minha. estou eximida de toda e qualquer. sempre procuro uma rede de segurança antes de me jogar. sempre. e isso, meu bem, é inteligência. por mais resistência que você possa apresentar quanto ao meu suposto conhecimento. por mais alto que você queira erguer a voz em uma conversa, para provar que sabe mais. ou conquistar àqueles que amo. ou desfazer de qualquer coisa que eu diga, por julgar inferior. isso te afasta das pessoas. é só para quem pode. vejo claramente: você, antes de se atirar, não procurou por uma rede de segurança. ou julgou prematuramente que alguém a colocaria. não confie tanto nas pessoas, meu bem. nunca. não antes de permitir que elas te enxerguem fraco. antes que que elas vejam as tuas lágrimas. a inteligência está em conhecer o chão que se pisa.
e eu sou brega pra caramba.

arquivos.
há exatos dois anos eu tinha de admitir que era depressiva. eu tinha de admitir que era fraca e dependente. é, eu era mesmo. não sei por que tinha medo, só lembro de ter. acho que de tanto perder o controle, acabei tendo medo de mim mesma. mas, engraçado, sempre sempre, tratei a depressão como outra pessoa, algo que tomasse conta de mim. nunca fui eu, porque eu não sou assim.
que bonito: escrever sobre antidepressivo, depressão e psiquiatra.
eu realmente não tenho medo de me expôr.

quarta-feira, julho 02, 2003

diary

hoje acordei muda. ela está voltando, perturbando meus sonhos, entrando pelos ouvidos dentro da cabeça e misturando tudo. eu não sei o que ela quer comigo, nem porque tem de ser comigo, não entendo. e ele vai querer que eu fale, e vai querer que volte a tomar as balinhas, e é tão ruim ter de engolir aqueles comprimidos pela manhã. acontece que a culpa é dela, e minha porque ela mora em mim, sei que em algum lugar aqui dentro tem casa com porta e tapete e móveis. tenho medo de que não seja mais inquilina e sim proprietária, proprietários são mais difíceis de mandar embora, entende? juro que queria ser forte o suficiente para ordenar o despejo e não depender de mandatos e ordens e juízes, mas tomo as balinhas que parecem fazer o serviço por mim. hoje eu acordei muda, mas as palavras vinham diminuindo faz algum tempo, a fome vinha diminuindo faz algum tempo, a medida em que a casa dela aumenta dentro de mim e toma o espaço de todas as outras funções.

1.7.05

this charming girl

...our youth is fleeting
old age is just around the bend
and i can't wait to go grey
and i'll sit and wonder
of every love that could've been
if i'd only thought of something charming to say...

as coisas passam tão rápido e a gente fica preso em detalhes tão pequenos. por que não fazer, se tem vontade? porque não dar uma volta e olhar o sol e comer porcaria e ter treze anos?
eu tô morrendo de medo, essa é a verdade.
de nada dar certo, de não conseguir, de avião. da comida, de ficar doente e não ter mãe perto, de acumular muita roupa para lavar. eu tô morrendo de medo.
mas se tiver de ser e tudo caminhar para isso, ora ora. eu nunca fui de recusar as coisas. os problemas e as situações desagradáveis. posso chorar, mas não tenho o hábito de fugir, por isso as brigas comigo são quase intermináveis.
mas também sou indecisa pra caramba, então, o que vai ser?
vou gravar um cd de músicas bregas brasileiras. pra quando sentir saudades.