29.9.05

olá sr. fogaça,
pode mandar trocar os postes da cidade por exemplares emborrachados.
sem mais,
agradeço,
deborah stempkowski

27.9.05

please please please.

so quit your life and stay with me
we’ll order in and watch tv
we’ll paint the house and wash the car
we’ll take a walk but not too far
so quit your life and stay with me
quit your life and stay with me.

sexta-feira. noite. casa. sopa de pacote. sono.
amor.
amor.
amor.

26.9.05

eu estive pensando e cheguei a conclusão de que pensar não é uma coisa muito esclarecedora para mim.

o que é que tem na sopa do nenêm?
ah, eu quero um bebê só pra mim!


minha pequena prima fofalinda.

21.9.05


olha o bico.

13.9.05

cold on the inside.

eu sinto frio demais. tenho certeza absoluta de que esse frio todo não existe, é algo deveras psicológico. e, de certa forma, auto-flagelo, porque ao invés de deitar alí no sofá, onde tem uma coberta e calorzinho, tô aqui, no gelo da salinha do computador.
pra quê? me pergunto.
pra vasculhar o orkut? ler blogs alheios? meu horóscopo?
tudo isso. sim, tudo isso.
mas pra passar o tempo também. estar desempregada é um tanto tedioso. e estar desempregada e solitária então... mas se carrie bradshaw passou por maus momentos, então também sou capaz.
o plano é trazer um notebook europeu. assim não precisaria sair do sofá.

11.9.05

bem, não é novidade pra ninguém que quando eu casar, brega ou não, vai tocar total eclipse of the heart.
belo solo instrumental, belas linhas. eu acho linda pra caramba.
turn around
every now and then i know you'll never be the boy you always wanted to be
turn around
every now and then i know you'll always be the only boy who wanted me the way that i am
turn around
every now and then i know there's no noe in the universe as magical and wonderous as you
turn around
every now and then i know there's nothing any better there's nothing that i just wouldn't do...
tipo, ok, você sempre será um perdedor mas te amo. oh, it's just like me.
mas porém contudo eu tô me sentindo muito mais it's a heartache. de qualquer forma, farei um bela seleção bonnie tyler para meu atual estado emocional, poque a tristeza deixa as pessoas muito mais musicais.
it ain't right with love to share
when you find he doesn't care, for you
it ain't wise to need someone
as much as i depended on, you
it's a heartache
nothing but a heartache
hits you when it's too late
hit's you when you're down
eu sou b-r-e-g-a. precisa que soletre?

e ele conta a nossa história.

e eu.
eu, ora.
eu choro.
antecipadamente, porque uma das despedidas chegou prematuramente.

instantes

(não mais) caminhar na praia...
(não mais) outro entardecer...
(não mais) a brisa que diz “vai chover”...
(não mais) as luzes da cidade
(não mais) me dizendo que
(não mais) há tanta coisa pra viver...
eu que tanto quis guardar meus dias,
eu que tanto pensei com medo de tentar...
já não mais, não mais me restam chances de errar.
ah, quando eu penso que tudo poderia ser...
ah, quando eu lembro que era só querer...
hoje, quando a fumaça sai do meu olhar,
eu tento não ver, tento negar
que este no espelho já não sou mais...
agarro meus sonhos entre minhas mãos mas por entre meus dedos
eles se vão
ah se eu pudesse voltar atrás, juro, eu viveria cada dia
mas tão fraco, já não posso mais recuperar os anos que deixei
pra trás
andaria na chuva, pularia no mar e te diria tudo que deixei de
falar... - dance of days

10.9.05

quem fizer minha dor passar ganha um chocolate gigante.

will you be my valentine if i'm a world away?
apologies are breaking me
the constants aren't so constant anymore
for two days i wait for calls to come through
tonight for me translates to yesterday to you
you bend and you wave when you're barely away
i wish i could say tonight that when you bend
and wave goodbye you'd take me with you... the get up kids - valentine

eu nunca pude nem espremer espinhas.
quanto mais deixar marcas de chupão.
mas você vê, né? cada um com suas escolhas.

don't think of me - dido

see you're with her -- not with me
i hope she's sweet, and so pretty
i hear she cooks delightfully,
a little angel beside you
see you're with her -- not with me
oh how lucky one man can be?
i hear your house is smart and clean
oh how lovely, with your homecoming queen
oh how lovely it must be
when you see her sweet smile, baby
don't think of me
when she lays in your warm arms
don't think of me
see you're with her -- not with me
i know she spreads sweet honey
in fact your best friend, i heard he
spent last night with her
now how do you feel?
how do you feel?
and it's too late, and it's too bad
don't think of me
does it bother you now, all the mess i made?
does it bother you now, the clothes you told me not to wear?
does it bother you now, all the angry games we played?
does it bother you now, when i'm not there?
when you see her sweet smile, baby
don't think of me
when she lays in your warm arms
don't think of me
and it's too late, and it's too bad
don't think of me

uma dia chega a felicidade pra mim?
é o que eu vou pedir de natal.

4.9.05

breakdown

it's just a ride, it's just a ride
no need to run, no need to hide
i'll take you round and round
sometimes you're up, sometimes you're down
it's just a ride, it's just a ride
don't be so scared, don't hide your eyes
it may feel so real inside
but don't forget it's just a ride...

huhum.
twenty more days. and counting.

2.9.05

save yourself

sabe quando você tem aquela impressão estranha de algo há de errado?
não é o caso agora, o caso agora é tensão fulltime. eu me transformei em uma pessoa tensa.
será que nunca mais teremos minhas gargalhadas felizes? apenas risos nervosos de uma pessoa com futuro incerto?
eu tenho medo de precisar usar o le monde como cobertor. quanto glamour.
mas sobre a sensação eu ia falar. é que, na verdade, não tem o que dizer. é só a sensação de que algo há de errado e você precisa sair correndo, pra bem longe, ficar bem quieta e esperar passar. quando passa, você coloca a cabeça no lugar e toma atitudes um tanto drásticas, as vezes. é aquela coisa de ter certeza que o lugar para estar no momento é outro, que existe outra vida esperando, mas não é uma fuga, é mais uma busca, sabe? não não sabe porque esquizofrênia não é uma doença de massa. ok.
sobre porto alegre. porto alegre é uma cidade engraçada. é quase uma filial do rio de janeiro. hoje vi um grupo de garotas com meia barriga de fora. 10ºC na rua e vento de arrastar árvores. frio deve ser algo muito psicológico mesmo.
a faculdade está fazendo falta.
o vento não pára. assobia pelas janelas. entra nos meus ouvidos. e, já disse isso outras vezes, quando venta muito tenho a nítida impressão, ao olhar o céu, que o tempo está passando mais rápido só pra mim. pra resolver meus problemas e encontrar minhas soluções. quando acalma, quase sempre, está tudo resolvido.
com a carga atual, é melhor ventar muito.
e eu vou sentir saudades de tantas coisas.

1.9.05

we rule the school.

sabe, eu acho engraçado. é que rolou um barraco virtual, no grupo de e-mails de meus antigos colegas de colégio.
posso dizer que sou abençoada, já que ao caminhar na rua nunca vou encontrar nenhum deles - nunca é forte, mas provavelmente nunca mesmo. aqui em porto alegre não.
e o barraco todo era por causa disso. eu não fui do hot spot na escola. meus cabelos viviam despenteados e a crueldade juvenil fez de uma gordinha feliz, uma magrela que vomitava no banheiro e tomava cartelas de laxante antes das festas. eu tive um ano infernal, onde não conseguia agradar e cada vez mais magra e mais chata e mais viciada no consumo de vento como principal refeição.
eu era completamente apaixonada pelo rei. c-o-m-p-l-e-t-a-m-e-n-t-e. mesmo tendo ele metade do meu tamanho. e o rei, ó, nem tchau pra mim. daí eu fiquei com o cara da propaganda, o mesmo babaca que hoje ganha a vida fazendo palhaçada na tv. e depois teve o viciado/expulso do colégio/marginal. filho de uma puta, aquele lá. e teve um outro, engraçado esse, que por acaso encontrei bêbada na festinha - ou me encontrou - e depois espalhou pra escola inteira que eu estava apaixonada por ele. até hoje a vontade é dizer: se enxerga, hello!
e as minhas amigas. uma certa inconstância de amizades, onde algumas persistem e outras - ó crueldade cristã - se afastaram quando meus pais separaram. belo timing, não? mas as que ainda existem são aquele tipo que a gente leva guardado, que quando senta pra conversar é como se o tempo não tivesse passado.
o barraco no grupo de e-mails era meio que um confronto entre o main stream e os outsiders. porque agora que o tempo passou se marcam reencontros e todos são amigos, queridos, ai-que-época-maravilhosa. devo concordar com o segundo grupo: não quero fazer parte.
é um pouco complicado mesmo, mas não faço questão. nunca fiz. e tenho a sensação de que o colégio batista brasileiro era uma produção mal feita de beverly hills 90210.
tenho recordações maravilhosas, que andam ao lado de péssimas lembranças, mas que de alguma forma me tornaram a pessoa que sou hoje. só não seria legal abraçar a mesma menina-metidinha-nariz-empinado que ganhou fama de putona porque uma certa eu espalhou que ela estava no banheiro fazendo coisas impróprias para a idade com certo rapazinho de gel. seria hipócrita. e, claro, o cara da propaganda teria de ouvir poucas e boas porque eu guardo mágoas. e o rei, bem, eu sei que ao vê-lo novamente meu castelo ruiria, porque eu era cega. mas agora uso óculos.
nunca almejei sentar na escada da cantina. nem protagonizar cenas de romance no pátio. eu tive quase tudo que quis, menos um uniforme do meu exato tamanho porque a mãe insistia em comprar dois números maior - pra durar. e o rei. mas aprendi a me virar bem com os príncipes. e dizem, não atraio mais idiotas.
até sei que a idiotice de uns já deve ter passado. que já são grandes e maduros, e eu mesma teria de pedir desculpas por muitas maldades. crianças fazem maldades, né?
mas não ter de viver esse confronto eterno, cruzar com desafetos no corredor da faculdade, dar explicações sobre a vida, é um benefício. e a saudade de outros se mata, eventualmente, nas férias.
apesar de que boatos dão conta de que algumas rainhas engordaram.
só essa última frase me faz roer as unhas, por não poder ir à festa.